domingo, 28 de dezembro de 2008

PRÓXIMOS PASSOS

Estou na Eslováquia até dia 25 de janeiro. Depois vou pra Itália, até dia 3 de março. Depois... acho que nem Deus sabe! Se estiver certa a respeito do que escrevi no último post, satisfeita com certeza eu vou estar, pois as opções são muitas.


Uma das grandes vantagens de fazer parte da AIESEC é que eu tenho milhares de oportunidades no mundo todo, completamente diferentes umas das outras. Posso escolher entre mais de 100 países, cidades pequenas ou grandes, Ásia, África, Américas, Europa, para trabalhar por 2 meses, 1 ano, ou mais, em multinacionais, em pequenas empresas, no governo, em ONGs, em algo relacionado a meu curso universitário ou algo diferente... e não oportunidades difíceis de se conseguir, é tudo bem acessível! E o problema é exatamente esse: com tanta possibilidade, não consigo escolher. E além das oportunidades da AIESEC, ainda posso decidir estudar e aí vem mais um caminhão de possibilidades diferentes...


Desde antes de sair do Brasil tenho pensado bastante sobre o meu futuro. Não engulo a história de que a gente tem que saber agora o que quer pro resto da vida. Na verdade pra algumas pessoas eu já deveria saber há muito tempo, quando marquei o X no “Curso desejado” no formulário do vestibular... Bom, pra mim não é assim. Sei que se eu começar alguma coisa e depois achar que não é aquilo, posso mudar, ou começar outra totalmente diferente. Mas já que preciso começar por algum lugar, quero tentar começar pelo lugar certo... pelo que vai me fazer mais feliz nesse momento. Então dedico algumas horas do meu tempo livre para pensar no que quero fazer quando voltar ao Brasil e em como posso me preparar melhor para isso durante o período que estou fora. Não pretendo delinear todo o meu futuro, mas acho importante ter algum tipo de planejamento, então me pergunto: o que quero fazer nos próximos anos? E como posso tirar o melhor proveito do meu intercâmbio, nesse sentido?


Tirando a questão financeira (claro que penso em opções que vão me dar recursos para manter um bom padrão de vida), o mais importante é encontrar algo que eu realmente goste de fazer. Sei disso. Todo mundo fala disso o tempo todo. Acontece que para mim não é tão fácil assim descobrir o que eu realmente gosto de fazer... já tentei listas de prós e contras (para quem não sabe sou fanática por listas); sessões de mentorado; brincar de me imaginar daqui a 1, 2 ,5 anos; começar planos de negócios; pesquisar profissões do futuro na Internet; analisar o que gostava/detestava fazer nos meus trabalhos anteriores... e o resultado é que tenho em mente pelo menos umas 10 coisas diferentes. E sempre que começo a pensar nisso, não consigo focar em nenhuma delas e acabo ‘viajando’ entre todas, sonhando e me preparando um pouquinho para cada uma, esperando a resposta cair do céu.


Acho que enquanto não tiver uma resposta mais clara em relação ao que quero fazer quando estiver no Brasil, não vou conseguir escolher e aproveitar bem nenhuma das incríveis oportunidades que tenho à minha frente. Por enquanto vou vivendo as experiências novas, aprendendo com a cultura diferente e crescendo muito no âmbito pessoal. O que já é bastante coisa. O lado profissional está em standby até eu conseguir enxergar mais claramente. Desejem-me sorte.

Zilina, Eslovaquia

3 comentários:

Nina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nina disse...

Geralmente quem ta perdido como vc faz medicinha ou adm...
Como vc ja fez adm, agora só falta medicina
hehe
ta entre as 10 opções???

elaine disse...

Desejo te tutta la sorte del mondo!